Duo de Violões

Anderson Reis e Leonardo Araújo no recital da Segunda Musical

Duo de violões – Anderson Reis e Leonardo Araújo

Desde seu primeiro projeto, em janeiro de 2011, realizado em sua cidade natal, Ouro Branco-MG, o duo composto por Leonardo Araújo e Anderson Reis surge da motivação de divulgar a cultura violonística e o repertório para dois violões.

Mesmo tendo em vista que o Brasil é o berço dos maiores duos de violões do mundo, esse universo musical é desconhecido por grande parte do público.

Ainda em sua cidade natal, o duo teve a oportunidade de participar de importantes projetos musicais, como a Música não tira féria, Semana Interativa e Semana da Música de Ouro Branco, seja se apresentando ou fazendo aulas com importantes professores, como Mario Ulloa, José Antônio Escobar, Turíbio Santos, dentre outros; assim, o duo foi criando forma e elaborando suas concepções artísticas.

Em Belo Horizonte, participaram da 1º edição do projeto Horizontes Musicais – Violões pela cidade, promovido pela Fundação Municipal de Cultura, apresentando o concerto “Meu amigo Radamés”, que, além da performance, os músicos ilustraram com fotos e vídeos a importância do maestro para a cultura popular brasileira.

Tal projeto proporcionou importante contato com os centros culturais de Belo Horizonte e com o público que o frequenta.

O duo teve oportunidade de estudar com músicos importantes, como os professores Max Teppich e André Cavazotti, em disciplinas de música de câmara, na Escola de Música da UFMG, e em masterclasses com os professores/violonistas Gilson Antunes, Turíbio Santos e Odair Assad, se aperfeiçoando com referências que extrapolavam a formação tradicional do violão e que auxiliaram no desenvolvimento de um trabalho com qualidade artística, gerando aos poucos o repertório do Concerto Confluências.

Com algumas obras desse repertório, o duo foi vencedor do Concurso de Violão Souza Lima, promovido pelo conservatório de mesmo nome, em 2015, na sua 26º edição, vencendo na categoria de música de câmara – duos trios e quartetos de violões, um feito muito importante para os músicos.

Cientes do potencial artístico e através da percepção da boa receptividade dos ouvintes em concertos realizados com o repertório proposto, as reflexões dos integrantes culminaram no presente projeto, que carrega a experiência musical que vem sendo acumulada por ambos os instrumentistas.

Em dezembro de 2014, na série Música e Poesia, promovida pelo Centro cultural da UFMG, o duo teve oportunidade de estrear o concerto Confluências.

Por meio desse concerto, o duo auxilia o público na percepção e apreciação musical, descrevendo, exemplificando, fazendo associações, comparações, contados histórias e casos, apontando características das obras, seu estilo e formas, para promover uma interação e identificação com a música instrumental; formando público e auxiliando na apreciação da música de concerto.

Concerto Confluências

O violão, como o instrumento musical mais popular da cultura brasileira, apresenta uma enorme diversidade de manifestações e pode servir perfeitamente como porta de acesso ao universo da música clássica.

Seguindo essa perspectiva, surge o interesse do duo de propor o concerto Confluências, com o objetivo de navegar com o público por variados fluxos musicais, e conduzir ao grande mar da música.

Dessa forma, o concerto proporciona a experiência musical de interação: entre a música popular e erudita, entre os dois músicos, entre performers e público. Cada “curso de águas” corre um caminho único, mas, ao se encontrar, confluem em novos sentidos, significados e no despertar de novos interesses e conexões musicais.

O repertório explora um variado leque de compositores. Da música popular, estão arranjos de clássicos dos Beatles e de canções marcantes dos compositores mineiros que formaram o Clube da Esquina.

Da música clássica, estão grandes obras de compositores que atuaram principalmente no século XX: Manuel de Falla, Mario Castelnuovo-Tedesco, Radamés Gnattali, Pierre Petit e Marlos Nobre. A confluência está muito bem representada no repertório selecionado para o concerto. As músicas dos Beatles influenciaram fortemente a música mineira do clube da esquina.

Radamés Gnattali e Marlos Nobre beberam da fonte da música popular e tradicional/folclórica, e nos brindaram com grandes contribuições.

O primeiro se encontra num local difícil de definir, na interseção entre o popular e o erudito; sobre essa dicotomia, Gnattali afirmava: “porque, para mim, só tem dois tipos de música: a boa e a ruim”. Os compositores europeus Pierre Petit, Manuel de Falla e Mario Castelnuovo-Tedesco criaram suas obras em firmes alicerces da tradição erudita, mas, definitivamente, não deixam de lado o swing do jazz, no caso de Petit, e o brilho da música tradicional dos povos da Espanha, no caso dos dois últimos. O violão, em si, é um instrumento unificador de vários gêneros musicais.

As obras que serão tocadas, na maioria dos casos, foram pensadas originalmente para outra instrumentação.

Como exemplo, o gaúcho Radamés Gnattali, com uma proposta inovadora, escreveu originalmente para bandolim e orquestra duas peças que serão apresentadas no concerto confluências. O pernambucano Marlos Nobre escreveu um grupo de peças originalmente para o piano, e o próprio compositor teve o interesse de transcrevê-las para duo de violões.

Manuel de Falla compôs uma dança espanhola originalmente para uma grande orquestra, que seria executada entre as cenas de uma ópera.

Além das canções mineiras e dos Beatles, no qual o violão estava inserido, mas que não foram pensadas especificamente para uma execução instrumental.

Aprofundando no repertório proposto, mais confluências musicais e maior riqueza de possibilidades e associações podem ser feitas. E, pensando nas associações que cada ouvinte poderá fazer, esse universo se expande exponencialmente, pois cada individuo carrega uma rede de significados inimagináveis.

Assim, espera-se proporcionar mais uma entrada ao universo da música instrumental .

Assista os vídeos do duo de violões Anderson Reis e Leonardo Araújo acessando a playlist

0/5 (0 Reviews)